A FARSA DA VIDA

"FARSA, A VIDA É UMA GRANDE FARSA, MAS QUEM DISSE QUE NÃO É, COMO NEGAR!, SIMPLES SENDO MAIS UM FARSANTE."

quarta-feira, 8 de julho de 2015

JUSTIÇA SÓ PARA QUEM PODE PAGAR BONS ADVOGADOS, É JUSTIÇA?

A TAL “JUSTIÇA BRASILEIRA” NA FIGURA DO PODER JUDICIÁRIO E DE SEUS INTEGRANTES, PARA SER MINIMAMENTE JUSTOS, DEVERIAM COMEÇAR OBSERVANDO OS DIREITOS DAQUELES QUE NÃO DISPÕE ESPECIALMENTE DE CONDIÇÕES ECONÔMICAS PARA PAGAR BONS ADVOGADOS QUE POSSA FAZER VALER SEUS DIREITOS, JÁ QUE A DEFENSÓRIA PÚBLICA NO BRASIL, NÃO PASSA DE MAIS UMA DAQUELAS “MIRAGEM” PARA ORGANISMOS INTERNACIONAIS OBSERVADORES DOS DIREITOS HUMANOS E “INGLÊS VER” E FINGIR QUE ACREDITAM, É SÓ MAIS UM ORGÃO PÚBLICO QUE FINGE “PRESTAR SERVIÇO AOS CIDADÃOS” MAS QUE NESSE CASO NA VERDADE MALMENTE SERVE PARA RESOLVER PROBLEMAS COMO, PENSÕES ALIMENTÍCIAS E BRIGAS DE VIZINHOS, ISSO QUANDO CHEGA A RESOLVER, APESAR DESTES PROBLEMAS SEREM BEM MAIS FÁCEIS DE SE RESOLVER POR SER “COISA DE POBRE” ONDE BASTA UMA “CANETADA” COM UMA AMEAÇA DE PRISÃO, E OS ÂNIMOS SE ACALMA, INDEPENDENTE DE SER JUSTA OU NÃO A DECISÃO. APESAR DE TUDO NÃO É POR ISSO, OU SEJA, POR SER “COISA DE POBRE” QUE A TAL “JUSTIÇA” BRASILEIRA, TENHA QUE IGNORAR OS DIREITOS DOS POBRES, MAS O FATO É QUE A TAL “JUSTIÇA” TUPINIQUIM OU BRASILEIRA, IGNORA, IRRELEVA, NEGLIGÊNCIA E ATÉ MESMO USURPA OS DIREITOS DAQUELES ”ZÉS NINGUÉM” QUE NEM UM DESTES “ADVOGADOZINHO” “PORTA DE CADEIA” PODEM PAGAR, ATÉ PORQUE TODOS OS INDIVÍDUOS MESMO QUE SÓ EM TESE E “NO PAPEL” TEM OS MESMO DIREITOS, INCLUSIVE O DE TER ACESSO A UMA JUSTIÇA MINIMAMENTE RESPONSÁVEL E JUSTA, ASSIM COMO SABEMOS QUE NINGUÉM É OBRIGADO A CONHECER TODAS AS LEIS, MUITO MENOS TER CONDIÇÕES FINANCEIRAS PARA PAGAR BONS ADVOGADOS CAPAZES DE REALMENTE FAZER VALER SEUS DIREITOS, MAS O ESTADO É SIM OBRIGADO A RESPEITAR TODOS ESTES DIREITOS DOS INDIVÍDUOS, MESMO QUE ELE NÃO OS CONHEÇA TOTALMENTE.                           
                                                                                                                                                                       

Nenhum comentário:

Postar um comentário